close

FUNDADA HÁ 67 ANOS, A CASA DA CRIANÇA GETÚLIO LIMA, PRESIDIDA POR MARTA JUNQUEIRA DE FREITAS, COM DUAS UNIDADES, É REFERÊNCIA EM CRECHE PARA ORLÂNDIA E REGIÃO

O conceito que antigamente as pessoas tinham sobre as creches, que era um lugar na qual as crianças eram pajeadas, mudou bastante. Hoje, as creches representam alternativas concretas para viabilizar a liberação dos pais para o mercado de trabalho, sobretudo, não só com caráter assistencial, mas principalmente educativo.

Desta forma, vamos falar especialmente de uma creche localizada em Orlândia, a Getúlio Lima. Fundada em Maio de 1949, ela tem sua origem calçada na Associação de Proteção à Maternidade e à Infância Getúlio Lima, criada por 45 senhoras com o objetivo de dar assistência às crianças e gestantes carentes. “A Associação de Proteção à Maternidade e à Infância Getúlio Lima existe há 67 anos e tem muita história para contar! A primeira presidente foi a esposa de um Juiz de Direito local e o intuito inicial da associação era de construir um posto de puericultura”, lembra Marta Junqueira de Freitas, presidente da creche há 13 anos.

Na época, a associação ganhou um terreno doado por particulares para a construção do prédio, no entanto, o diretor do Departamento Nacional da Criança, Dr. Getúlio Lima (daí a motivação pelo nome da creche), considerou sua construção inviável devido a má localização do terreno. Mas, posteriormente, a associação conseguiu com um político da época a doação de um terreno da Prefeitura melhor localizado, onde o posto foi construído com recursos arrecadados das promoções e repasses feitos pela Administração do Estado, que oferecia, basicamente, serviços de atendimento médico e distribuía remédios, leite e enxovais.

“Essa situação postergou até junho de 1968, quando o Rotary Club resolveu assumir a responsabilidade da associação, com o intuito de torná-la uma creche. Um terreno maior foi doado e foi construído o prédio onde funciona a creche atual, a Casa da Criança Getúlio Lima. O Rotary Club de Orlândia manteve a entidade até o ano 2000, quando resolveu não continuar com o compromisso de manter a entidade, passando a presidência para uma pessoa da sociedade civil, na época, assumida por Valéria Feres, em 2001”, conta Marta.

Então, a administração da Casa da Criança Getúlio Lima passou a ser assim constituída: Presidente, Vice-Presidente, Primeira Secretária, Segunda Secretária, Primeiro Tesoureiro, Segundo Tesoureiro e por um grupo de apoio convidado pelo presidente para o desenvolvimento das atividades da entidade. O mandato, com a duração de dois anos, é assumido sempre a partir da data de vencimento da Ata, sendo o presidente escolhido pela Assembleia Ordinária composta pela maioria dos associados, podendo o presidente se reeleger quantas vezes for escolhido pela Assembleia.

“Na verdade eu fui apenas ajudar a Valéria organizar uma festa que seria realizada para angariar recursos para a creche. Mas ela, na ocasião, me convidou para ser sua Vice-Presidente. Depois de um pouco mais de um ano a Valéria, por motivos pessoais, precisou ausentar-se e então eu assumi como presidente interina e depois, na próxima eleição, em 2003, fui eleita presidente e estou até hoje, realizando um trabalho totalmente voluntário”, afirma.

Marta conta que o início do seu mandato foi difícil, pois era necessário fazer muito com tão pouco recurso disponível. “Trabalhar com criança é algo de grande responsabilidade, há todo um cuidado envolvido e temos que zelar pelo bem-estar delas”, aponta. “Quando assumi, o processo de trabalho ainda era bem amador. Tivemos que evoluir, pois lá fora tudo havia evoluído, inclusive as normas na educação, segurança, leis; não usávamos uniforme, implantamos cartão de ponto, enfim, com o tempo, fomos moldando a entidade nos moldes empresarial”.

“A gestão da Marta entrou com tudo! Ela vestiu a camisa da Casa da Criança e realizou mudanças que fizeram toda diferença. No começo foi um choque, porque toda mudança assusta um pouco, mas graças a Deus todos os funcionários se adequaram ao novo processo e começamos a trabalhar com mais organização, o que nos fez crescer ainda mais como profissionais”, comenta Neusa Domingos, diretora da Casa da Criança Getúlio Lima, Unidade I.

A participação efetiva dos pais é de grande importância no desenvolvimento da criança. Hoje eles participam ativamente dos eventos e de tudo o que acontece com seus filhos, algo que também foi implantado na gestão de Marta.

Hoje a Casa da Criança Getúlio Lima é mantida através de uma verba Federal, o FUNDEB, que é repassada através da Prefeitura Municipal e também por convênio com as empresas Morlan S/A, Hospital Beneficente Santo Antonio, Brejeiro, Intelli e A Alves S/A, além de promoções, eventos, doações, etc. Conta também com um grupo de mais de setenta voluntárias que se reúnem toda semana na creche para bordar e confeccionar trabalhos manuais que são vendidos nos bazares realizados duas vezes ao ano na própria entidade. Recebe ainda alimentos da Prefeitura Muncipal, através de um convênio com a Secretaria da Educação e hoje conta com um quadro de 31 funcionários remunerados pela entidade na Unidade I.

Quando fundada, atendia 60 crianças e hoje atende 221 crianças, entre 4 meses a 5 anos e 11 meses de idade, em período integral das 7h00 às 17h00, de segunda a sexta-feira.

Outra concretização de um sonho aconteceu em 2014, com a inauguração da Unidade II da Casa da Criança Getúlio Lima. Valéria Feres, ainda em seu mandato, havia levantado a ideia de construir uma nova unidade da creche em um terreno de propriedade da entidade. Mas como a Unidade I havia passado por reforma a ideia tornou-se inviável na época por falta de recursos. “Um dia estava conversando com meu esposo e eu falei para ele que eu tinha muita vontade de concretizar o projeto da construção da nova creche, e ele me disse: por que você não faz? Falei que era impossível, não tínhamos recursos para tanto. Então ele disse que dava sim, se não desse em um ano, faríamos em três, cinco; devagar daria certo. Isso me deu força e ânimo. Conversei com a equipe da creche e elas também animaram, ficaram felizes, e assim fomos trabalhando com calma e planejando a nova unidade. Muitas pessoas colaboraram voluntariamente com o projeto. Com muito esforço, trabalho em equipe e recursos próprios, a Unidade II, localizada à Rua 8, 408, no centro da cidade foi construída em três anos e atende cem crianças de 4 meses a 3 anos de idade e conta com um quadro de dezenove funcionários remunerados pela entidade.

Hoje, nas duas unidades, são atendidas 321 crianças e emprega 51 profissionais especializados na área da educação incluindo psicóloga, professores, educadores, cozinheiras, faxineiras, secretárias e coordenadoras. “Gostaríamos de ir além, de atender mais crianças, mas é inviável ultrapassar a nossa capacidade. Temos uma lista de espera muito grande, queríamos atender a todos, mas se hoje as mães querem por seus filhos na Getúlio Lima é porque prezamos pela qualidade no serviço e bem-estar das crianças, ir além da nossa capacidade compromete toda estrutura e principalmente o desenvolvimento delas”, lamenta Marta.

 

Desde os anos 1990, estudos científicos mostram que cursar Ensino Infantil beneficia o jovem em sua vida Escolar. É a qualidade do tempo na escola o ponto crucial para a verdadeira transformação do futuro da criança. A Casa da Criança Getúlio Lima além de infraestrutura adequada se diferencia pelo engajamento dos educadores em instruir as crianças, todos têm a preocupação em oferecer mais que o simples cuidar. Acredita-se que seja por esse motivo a grande procura por vagas na entidade.

 

“Posso dizer que fiz muita coisa boa pela creche e isso me faz feliz e realizada. Contudo, a creche também me fez muito bem. Hoje sou mais atenta, cautelosa e sinto que cresci muito como ser humano. E não só a mim, mas também a toda minha família, especialmente minhas filhas e meu esposo que respeitam e admiram meu trabalho e também aprenderam a ter esse olhar caridoso e ainda me apoiam em tudo que faço. Também não posso deixar de dizer que sou grata a toda diretoria da creche, que me dá suporte sempre que necessário e a essa equipe maravilhosa de profissionais que atuam na Casa da Criança, que são dedicadas e comprometidas”. Revela Marta.

A diretoria da Casa da Criança Getúlio Lima, hoje é assim constituída: Presidente Marta Junqueira de Freitas, Vice Presidente Ângela Jacintho Lima Diniz Junqueira, Primeira Secretária Gláucia Melo Junqueira, Segunda Secretária Cláudia Degiovani Trevisani, Primeira Tesoureira Fabiane Ap. de Castro Trevisani e Segunda Tesoureira Maria Cláudia Azevedo Nonino Junqueira Reis e membros do Conselho Fiscal Antonio Falchetti, Walter Bordignon Filho, Antônio Geraldo Zerbetto e Edson Rodrigues Vieira como Suplente.

“Acredito que o nosso trabalho na Casa da Criança dá certo porque gostamos do que fazemos, é difícil, ainda enfrentamos dificuldades principalmente financeiras, mas é prazeroso e gratificante”, finaliza Marta.

Deixe um comentário