close

Matéria de Capa

Matéria de Capa

FORMANDO CIDADÃOS

FUNDADA HÁ 67 ANOS, A CASA DA CRIANÇA GETÚLIO LIMA, PRESIDIDA POR MARTA JUNQUEIRA DE FREITAS, COM DUAS UNIDADES, É REFERÊNCIA EM CRECHE PARA ORLÂNDIA E REGIÃO

O conceito que antigamente as pessoas tinham sobre as creches, que era um lugar na qual as crianças eram pajeadas, mudou bastante. Hoje, as creches representam alternativas concretas para viabilizar a liberação dos pais para o mercado de trabalho, sobretudo, não só com caráter assistencial, mas principalmente educativo.

Desta forma, vamos falar especialmente de uma creche localizada em Orlândia, a Getúlio Lima. Fundada em Maio de 1949, ela tem sua origem calçada na Associação de Proteção à Maternidade e à Infância Getúlio Lima, criada por 45 senhoras com o objetivo de dar assistência às crianças e gestantes carentes. “A Associação de Proteção à Maternidade e à Infância Getúlio Lima existe há 67 anos e tem muita história para contar! A primeira presidente foi a esposa de um Juiz de Direito local e o intuito inicial da associação era de construir um posto de puericultura”, lembra Marta Junqueira de Freitas, presidente da creche há 13 anos.

Na época, a associação ganhou um terreno doado por particulares para a construção do prédio, no entanto, o diretor do Departamento Nacional da Criança, Dr. Getúlio Lima (daí a motivação pelo nome da creche), considerou sua construção inviável devido a má localização do terreno. Mas, posteriormente, a associação conseguiu com um político da época a doação de um terreno da Prefeitura melhor localizado, onde o posto foi construído com recursos arrecadados das promoções e repasses feitos pela Administração do Estado, que oferecia, basicamente, serviços de atendimento médico e distribuía remédios, leite e enxovais.

“Essa situação postergou até junho de 1968, quando o Rotary Club resolveu assumir a responsabilidade da associação, com o intuito de torná-la uma creche. Um terreno maior foi doado e foi construído o prédio onde funciona a creche atual, a Casa da Criança Getúlio Lima. O Rotary Club de Orlândia manteve a entidade até o ano 2000, quando resolveu não continuar com o compromisso de manter a entidade, passando a presidência para uma pessoa da sociedade civil, na época, assumida por Valéria Feres, em 2001”, conta Marta.

Então, a administração da Casa da Criança Getúlio Lima passou a ser assim constituída: Presidente, Vice-Presidente, Primeira Secretária, Segunda Secretária, Primeiro Tesoureiro, Segundo Tesoureiro e por um grupo de apoio convidado pelo presidente para o desenvolvimento das atividades da entidade. O mandato, com a duração de dois anos, é assumido sempre a partir da data de vencimento da Ata, sendo o presidente escolhido pela Assembleia Ordinária composta pela maioria dos associados, podendo o presidente se reeleger quantas vezes for escolhido pela Assembleia.

“Na verdade eu fui apenas ajudar a Valéria organizar uma festa que seria realizada para angariar recursos para a creche. Mas ela, na ocasião, me convidou para ser sua Vice-Presidente. Depois de um pouco mais de um ano a Valéria, por motivos pessoais, precisou ausentar-se e então eu assumi como presidente interina e depois, na próxima eleição, em 2003, fui eleita presidente e estou até hoje, realizando um trabalho totalmente voluntário”, afirma.

Marta conta que o início do seu mandato foi difícil, pois era necessário fazer muito com tão pouco recurso disponível. “Trabalhar com criança é algo de grande responsabilidade, há todo um cuidado envolvido e temos que zelar pelo bem-estar delas”, aponta. “Quando assumi, o processo de trabalho ainda era bem amador. Tivemos que evoluir, pois lá fora tudo havia evoluído, inclusive as normas na educação, segurança, leis; não usávamos uniforme, implantamos cartão de ponto, enfim, com o tempo, fomos moldando a entidade nos moldes empresarial”.

“A gestão da Marta entrou com tudo! Ela vestiu a camisa da Casa da Criança e realizou mudanças que fizeram toda diferença. No começo foi um choque, porque toda mudança assusta um pouco, mas graças a Deus todos os funcionários se adequaram ao novo processo e começamos a trabalhar com mais organização, o que nos fez crescer ainda mais como profissionais”, comenta Neusa Domingos, diretora da Casa da Criança Getúlio Lima, Unidade I.

A participação efetiva dos pais é de grande importância no desenvolvimento da criança. Hoje eles participam ativamente dos eventos e de tudo o que acontece com seus filhos, algo que também foi implantado na gestão de Marta.

Hoje a Casa da Criança Getúlio Lima é mantida através de uma verba Federal, o FUNDEB, que é repassada através da Prefeitura Municipal e também por convênio com as empresas Morlan S/A, Hospital Beneficente Santo Antonio, Brejeiro, Intelli e A Alves S/A, além de promoções, eventos, doações, etc. Conta também com um grupo de mais de setenta voluntárias que se reúnem toda semana na creche para bordar e confeccionar trabalhos manuais que são vendidos nos bazares realizados duas vezes ao ano na própria entidade. Recebe ainda alimentos da Prefeitura Muncipal, através de um convênio com a Secretaria da Educação e hoje conta com um quadro de 31 funcionários remunerados pela entidade na Unidade I.

Quando fundada, atendia 60 crianças e hoje atende 221 crianças, entre 4 meses a 5 anos e 11 meses de idade, em período integral das 7h00 às 17h00, de segunda a sexta-feira.

Outra concretização de um sonho aconteceu em 2014, com a inauguração da Unidade II da Casa da Criança Getúlio Lima. Valéria Feres, ainda em seu mandato, havia levantado a ideia de construir uma nova unidade da creche em um terreno de propriedade da entidade. Mas como a Unidade I havia passado por reforma a ideia tornou-se inviável na época por falta de recursos. “Um dia estava conversando com meu esposo e eu falei para ele que eu tinha muita vontade de concretizar o projeto da construção da nova creche, e ele me disse: por que você não faz? Falei que era impossível, não tínhamos recursos para tanto. Então ele disse que dava sim, se não desse em um ano, faríamos em três, cinco; devagar daria certo. Isso me deu força e ânimo. Conversei com a equipe da creche e elas também animaram, ficaram felizes, e assim fomos trabalhando com calma e planejando a nova unidade. Muitas pessoas colaboraram voluntariamente com o projeto. Com muito esforço, trabalho em equipe e recursos próprios, a Unidade II, localizada à Rua 8, 408, no centro da cidade foi construída em três anos e atende cem crianças de 4 meses a 3 anos de idade e conta com um quadro de dezenove funcionários remunerados pela entidade.

Hoje, nas duas unidades, são atendidas 321 crianças e emprega 51 profissionais especializados na área da educação incluindo psicóloga, professores, educadores, cozinheiras, faxineiras, secretárias e coordenadoras. “Gostaríamos de ir além, de atender mais crianças, mas é inviável ultrapassar a nossa capacidade. Temos uma lista de espera muito grande, queríamos atender a todos, mas se hoje as mães querem por seus filhos na Getúlio Lima é porque prezamos pela qualidade no serviço e bem-estar das crianças, ir além da nossa capacidade compromete toda estrutura e principalmente o desenvolvimento delas”, lamenta Marta.

 

Desde os anos 1990, estudos científicos mostram que cursar Ensino Infantil beneficia o jovem em sua vida Escolar. É a qualidade do tempo na escola o ponto crucial para a verdadeira transformação do futuro da criança. A Casa da Criança Getúlio Lima além de infraestrutura adequada se diferencia pelo engajamento dos educadores em instruir as crianças, todos têm a preocupação em oferecer mais que o simples cuidar. Acredita-se que seja por esse motivo a grande procura por vagas na entidade.

 

“Posso dizer que fiz muita coisa boa pela creche e isso me faz feliz e realizada. Contudo, a creche também me fez muito bem. Hoje sou mais atenta, cautelosa e sinto que cresci muito como ser humano. E não só a mim, mas também a toda minha família, especialmente minhas filhas e meu esposo que respeitam e admiram meu trabalho e também aprenderam a ter esse olhar caridoso e ainda me apoiam em tudo que faço. Também não posso deixar de dizer que sou grata a toda diretoria da creche, que me dá suporte sempre que necessário e a essa equipe maravilhosa de profissionais que atuam na Casa da Criança, que são dedicadas e comprometidas”. Revela Marta.

A diretoria da Casa da Criança Getúlio Lima, hoje é assim constituída: Presidente Marta Junqueira de Freitas, Vice Presidente Ângela Jacintho Lima Diniz Junqueira, Primeira Secretária Gláucia Melo Junqueira, Segunda Secretária Cláudia Degiovani Trevisani, Primeira Tesoureira Fabiane Ap. de Castro Trevisani e Segunda Tesoureira Maria Cláudia Azevedo Nonino Junqueira Reis e membros do Conselho Fiscal Antonio Falchetti, Walter Bordignon Filho, Antônio Geraldo Zerbetto e Edson Rodrigues Vieira como Suplente.

“Acredito que o nosso trabalho na Casa da Criança dá certo porque gostamos do que fazemos, é difícil, ainda enfrentamos dificuldades principalmente financeiras, mas é prazeroso e gratificante”, finaliza Marta.

Leia Mais
Matéria de Capa

FAZENDO O BEM

Os direitos humanos, o amor ao próximo e a unidade nos lares podem ser a chave para uma sociedade melhor

Mãe é sinônimo de amor. O amor de mãe é imensurável, algo que vem de dentro, do mais íntimo. Mãe ama, cuida, perdoa e se doa sem esperar reciprocidade. Na linha desse sentimento materno, aproveitamos o tema para abordar o amor ao próximo, com a oportunidade de um bate papo com a Gestora Municipal de Assistência Social de São Joaquim da Barra, Adriana Ap. Pereira Ceribelli, que atua no cargo há 7 anos e acumula experiência de 24 anos como Assistente Social. Esposa do advogado Dr. Roni Ceribelli, mãe de três filhos, Bruno, Clara e André, Adriana tem um olhar sensível quanto às questões e necessidades sociais e gerencia os vários projetos e serviços da Assistência Social do Município joaquinense.

 “Sempre fui ligada as organizações políticas, administrações públicas e às questões dos direitos humanos. Quando eu era criança me chamava muito a atenção quanto as diferenças sociais nas escolas em que eu frequentava. Antigamente não era muito comum escolas particulares, por isso nas escolas públicas estudavam crianças de todas as classes sociais. Eu tinha colegas milionários e outros muito pobres. E eu observava muito as diferenças de vestuário, calçados, objetos escolares, quem levava lanche de casa, ou comprava na cantina, ou quem nem levava e nem comprava o seu lanche. Tudo isso me chamava atenção. Desde muito cedo eu já tinha meus questionamentos perante essas situações”, comenta a gestora municipal, que também já trabalhou como Assistente Social na Santa Casa de Misericórdia de São Joaquim da Barra e na Fundação Casa em Ribeirão Preto.

A história da Assistência Social começou com as igrejas, as quais desenvolviam um trabalho de doações e campanhas realizadas por mulheres religiosas da sociedade que se reuniam para doar roupas e alimentos para as famílias mais carentes. Dentro disso, alguns estudiosos observaram essas diferenças sociais e verificaram a necessidade de se ter um trabalho exclusivo para sanar esses problemas da população mais pobre.

Hoje existe uma estrutura política e governamental dentro da Assistência Social. Há um Ministério do Governo Federal que trabalha para garantir os direitos de toda a população. “Toda pessoa, assim como tem direito a educação, saúde, lazer, também tem o direito à assistência social. Infelizmente ainda não conquistamos um percentual do orçamento público voltado só para financiar as políticas de assistência social, assim como tem o setor da educação e da saúde. Na verdade, esse é o nosso maior sonho. Contudo, já observamos uma boa melhora. Hoje temos um Conselho Nacional, Estadual e Municipal de Assistência Social que trabalha para lutar junto ao Ministério tanto para melhorar as políticas voltadas para a população como também para melhorar a condição de trabalho do profissional que atua nessa área. Felizmente tivemos governantes que olharam para a assistência social não só como a possibilidade de conseguir votos para a próxima eleição com ações meramente assistencialistas, mas com um olhar de quem quer resolver de fato os problemas sociais através de políticas públicas mais efetivas”, explica Adriana.

O serviço público municipal tem um órgão gestor de assistência socialpara atender a população. Esse setor trabalha com um cadastro único para programas sociais do Governo Federal, cujo carro chefe é o programa Bolsa Família, que é um programa de transferência de renda. Há ainda assistentes sociais que atuam junto à população para atendimento de outras reivindicações como cestas básicas e outros. Em São Joaquim da Barra há também muitas famílias que se beneficiam com cestas de frutas e legumes, que são pessoas com problemas de saúde, dentre elas, pacientes que fazem tratamentos contra o câncer. Além de isenção de IPTU e um programa de distribuição de leites. Contudo, a assistência social é muito mais que isso. Adriana enfatiza que “a assistência social é muito ampla e vai muito além de entregas de cestas básicas. É necessário alimentar a pessoa que tem fome por se tratar de uma questão de sobrevida. Sobretudo, é de extrema importância termos a consciência de que tais problemas precisam ser resolvidos na fonte, na qual, em sua grande maioria, é a família. Fazemos um trabalho com o CRAS e o CREAS que atua dentro dessa necessidade”.

O CRAS é o Centro de Referência de Assistência Social que atua junto à população vulnerável, na prevenção contra os riscos sociais, que são evasão escolar, desemprego, uso de drogas, dentre outros, problemas que quando chegam dentro dos lares podem desestabilizar as famílias. Profissionais realizam atendimento, acompanhamento, grupos e visitações com o objetivo do fortalecimento de vínculos familiares, além de desenvolver diversas atividades socioeducativas. Os profissionais da equipe técnica, que são os assistentes sociais e psicólogos, atuam nesses grupos, não para formação deles nessas atividades, mas como interventores para as questões sociais a que eles são acometidos. O público prioritário são os que recebem o Bolsa Família. Dessas situações de risco para uma perda é apenas um passo, por isso a importância de orientar, acompanhar essas famílias para que não se percam nesses riscos que existem dentro da sociedade”, explica.

Já o CREAS, que é o Centro de Referência Especializada de Assistência Social, atua nas questões de violação de direitos. Toda pessoa que tem seus direitos violados é público do CREAS, por exemplo, adolescentes que abandonaram a escola, ou adolescentes que cometem atos infracionais, outros como violência sexual, violência doméstica, abandono e negligência contra idosos, etc. “Infelizmente, hoje em dia é muito comum pais que perdem a autoridade perante seus filhos. Quando eles atingem por volta dos 13/14 anos, começam a faltar da escola violando seus próprios direitos, contudo, é importante ressaltar que é dever dos pais manterem seus filhos na escola até o Ensino Médio. Em todos os casos, as técnicas fazem atendimentos individuais ou em grupo, trabalhos de orientação com as famílias, tentando reinserir na escola ou encaminhar para algum trabalho. Todos esses atendimentos são realizados independente da questão financeira”, diz a gestora.

Muitos problemas que estão dentro da sociedade são causados porque as famílias estão “adoecidas”. Hoje, com a evolução tecnológica e a rapidez da internet, há um grande individualismo dentro dos lares. “As reuniões familiares são importantes e geralmente o momento que conseguimos reunir a família é em volta da mesa, seja do café, do almoço, ou do jantar. Com isso, algumas atividades socioeducativas que fazemos em grupos são na área da culinária e elas dão muito certo. Orientamos as mães a reunir a família. Muitas mães reclamam que os filhos podem até estar em casa, mas um no quarto assistindo TV, outro no computador, outro no celular, assim o diálogo está cada vez mais curto. Às vezes existem cinco ou seis pessoas que moram na mesma casa, mas que não conversam entre si. Esta falta de harmonia dentro de casa, muitas vezes leva os filhos ao uso de drogas, depressão dos pais, espancamento, rebeldia dos filhos com os pais e falta de autoridade dos pais com os filhos. A tolerância é mínima e essa velocidade da internet não é a mesma no mundo real, por isso as pessoas fantasiam uma vida que não existe. É indispensável trabalhar, principalmente com o público jovem a diferença entre o mundo real e o virtual. Com um clique, na internet é possível viajar de país a país e muitas vezes o jovem deseja que a vida real também seja assim nesta rapidez, com isso, muitos pais se perdem nessa questão. No CRAS nós temos um trabalho muito especial que chama-se Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, para restabelecer e fortalecer essas relações nos lares. Nós não podemos nunca desistir das famílias”, frisa.

Adriana com o esposo Dr. Roni Ceribelli

 

Com os pais Sr. Luiz Alberto e Maria Aparecida
Com os filhos Bruno, Clara e André

Como gestora, Adriana diz ser uma tarefa árdua gerenciar todas essas questões dentro da Assistência Social, porém, confessa que ama o que faz e, sobretudo, se alegra em poder contar com uma equipe que trabalha com afinco para tentar atender as necessidades das pessoas. “O maior sonho de nós profissionais desta área é a justiça social. Não posso dizer que conseguimentos resolver o problema de todos, até mesmo porque não existe uma receita, mas conseguimos dar subsídios para que eles consigam chegar às soluções para os seus próprios problemas, vamos mostrando seus direitos, como requerer um benefício, orientando também quais são os seus deveres, enfim, indicando o caminho”, enfatiza Adriana.

A assistente social ainda destaca que o respeito aos direitos humanos, o amor ao próximo e a unidade nos lares é a chave para uma sociedade melhor. Mesmo sendo um trabalho de grandes desafios, o apoio da família e da equipe torna-o recompensador. “Graças a Deus fui privilegiada em ter uma família que me apoia muito, principalmente meu esposo e meus filhos. Nossa equipe está sempre disposta, fazemos muito com pouco para levar esperança e incitar sonhos. Sou muito grata também pela confiança que a administração pública depositou em mim e pelo apoio que recebo por parte do executivo municipal. E também não posso deixar de dizer que, o que sou hoje, devo aos meus pais, Luis Alberto, que hoje mora no céu, e Maria Aparecida. Eles me ensinaram os valores que tenho hoje e me deram uma educação baseada no amor e no respeito ao próximo”, conclui.

Leia Mais
Matéria de Capa

OS DESAFIOS DA NOVA GERAÇÃO

Na edição especial “Mulheres”, trouxemos exemplos de jovens, guerreiras e inteligentes, que passaram por vários desafios, todavia, certas do que queriam, venceram todos eles e conquistaram seu espaço.

Quem não terminou o curso superior com aquela sensação de impotência, ou receio de não conseguir trabalhar no curso que escolheu. Acredito que a maioria das pessoas já passou por isso. Não foi diferente com Francine Pollo, Laís Exposto, Ana Luísa Ribeiro Silva, Tuane Oliveira e Talita Codogni. Cada uma em sua área de atuação, se dedicaram e provaram que é possível, mesmo tão jovens, serem bem sucedidas profissionalmente!

FRANCINE POLLO

SEMPRE ANTENADA ÀS NOVAS TECNOLOGIAS, A CIRURGIÃ-DENTISTA JÁ ANUNCIA NOVIDADES NA ÁREA DA ORTODONTIA PARA 2017

IMG_5346

 

Graduada em Odontologia pela Unaerp, Francine Pollo atua em todas as áreas da profissão como cirurgiã-dentista clínico geral. A profissional conta que se apaixonou pela profissão estudando ainda no ensino médio, quando fez estágio com duas profissionais da área. “Eu tinha dúvidas em qual carreira seguir profissionalmente. Meu pai, Fernando, sugeriu odontologia, achei uma boa ideia. Com isso, tive a oportunidade de fazer estágio na área e realmente me apaixonei pela profissão”.

Francine vem se especializando na área da estética. Um dos seus trabalhos mais procurados são as Lentes de Contato e-MAX, que é uma técnica que nem todos os dentistas oferecem, elas precisam ser registradas e só podem ser de porcelana patenteada e-MAX (disilicato de Lithium), que não está disponível em qualquer lugar. Em poucas consultas, a pessoa pode ter um sorriso bonito que está provado clinicamente para durar mais de 20 anos. “Esse trabalho é feito a partir de uma porcelana especial muito mais fina do que folheados fabricado em um laboratório tradicional. Sua espessura é comparável a lentes de contato. A principal vantagem dessas facetas ultrafinas é que a preparação do dente é minimamente necessária. Em outras palavras, muito pouca, ou nenhuma, estrutura natural do dente precisa ser removida através de desgastes, antes da colagem das Lentes sobre os dentes naturais. Elas são a solução perfeita para dentes lascados, dentes escurecidos ou desalinhados”. Destaca a cirurgiã-dentista.

Esse processo é o queridinho das celebridades. Famosos como Ronaldinho Gaúcho, Grazi Massafera, Flávia Alessandra e o cantor Belo se submeteram a esse trabalho e mudaram o sorriso. É interessante destacar que não é necessário se deslocar até grandes centros metropolitanos para obter esse tratamento, a jovem Francine, aos 26 anos, vem fazendo a diferença nos sorrisos de orlandinos e de várias pessoas da região que a procuram. “O sorriso é o cartão de visitas da pessoa. É muito prazeroso poder trazer a alegria e a satisfação de simplesmente sorrir, sem que a pessoa tenha vergonha, pois as imperfeições de seus dentes foram facilmente corrigidas”. Diz.

Esse trabalho também pode ser feito com Facetas em Resina Composta, que é uma técnica um pouco mais invasiva, que é feita no consultório mesmo, sem intervenções protéticas, que em apenas uma sessão é possível mudar o sorriso, também é uma boa solução para a estética dental, com custo mais acessível.

Francine atende crianças, adultos e idosos com tratamento geral, próteses dentárias, técnicas inovadoras de clareamento dental e para o ano 2017 já garante outra novidade em sua clínica, a Ortodontia, para quem deseja corrigir os dentes com o uso de aparelhos dentais.

“Sou muito grata a Deus e a minha família que me apoia em todos os meus projetos. Posso dizer que me sinto realizada profissionalmente, mas meu objetivo é nunca parar. Quero estudar sempre e estar antenada as novas tecnologias lançadas na área da odontologia para oferecer sempre o melhor aos meus pacientes”, finaliza.

Contato: Avenida 8, 183, Centro. Orlândia.

Tel.: (16) 3726-3707

 

TUANE DE OLIVEIRA

“Danço, não apenas por dançar, mas por sentir em cada parte do meu corpo as notas de música que nunca para”

tuane making of 056

Sabe aquela pessoa que fica anos em busca do seu caminho e descobre que ele está mais próximo do que imagina? Foi assim com Tuane de OLiveira Rodrigues.

Por motivo de saúde e recomendações médicas, na infância Tuane foi apresentada a dança. “Tive problemas cardíacos e necessitava de atividades físicas. Por não me adaptar a outras atividades, minha família optou pela dança, na qual eu teria os benefícios físicos e culturais. No início não gostava das aulas, chorava frequentemente. Mas aos onze anos fui convidada por minha professora de balé há participar da aula para ajudar as crianças menores, e neste momento percebi que a dança seria minha vida. Ao olhar as crianças aprendendo e observando cada detalhe entendi que seria professora e não uma bailarina”.

Nascida em família de dançarinos, aos poucos foi se aperfeiçoando e estudando para se tornar uma profissional de qualidade. E mesmo com as adversidades da vida, em um dos momentos mais críticos, resolveu encerrar sua carreira, mas quando subiu ao palco em um dos seus espetáculos de dança para informar ao público, com microfone em mãos disse: – “Vou abrir minha escola, o Studium de Dança Tuane Oliveira” – para surpresa de seus familiares. “Graças ao apoio da minha família, em uma semana após o anúncio, consegui realizar meu sonho oculto. Aos poucos, com muito trabalho e fé em Deus, o Studium foi ganhando alunos e iniciamos a nossa família. Com o tempo, o espaço foi ficando pequeno, então mudamos para nosso atual endereço. O mais curioso é que aos 17 anos entrei neste prédio ainda em construção e me lembro de pensar que aqui seria uma linda escola de dança. Acredito que quando Deus é a base da nossa sua vida não importa o tempo, nem a hora, nem o local, Ele sempre terá o melhor para nós”.

O Studium de Dança Tuane Oliveira oferece aulas de balé clássico, jazz, dança do ventre, contemporâneo e alongamento, com professores conceituados como Rossana Melo, Mestra em Dança Oriental e Hugo Henrique dos Santos, bailarino da Royal Academy of Dance.

Tuane é graduada em Educação física, Técnico em Ballet, Dança Oriental Árabe, cursos Royal Academy of Dance, cursos com Soraia Zaed, Wael Mansur, Toshie e Pilates.

Aos 26 anos, a jovem professora de dança resume sua trajetória profissional em uma palavra: trabalho. “Não devemos deixar nossos sonhos em um papel. Temos que buscá-lo de todo coração sem se importar com todos os obstáculos que estão por vir, pois quando se tem fé e perseverança o céu é o limite”

Contato: Studium de Dança Tuane Oliveira

Avenida Orestes Quércia, 1966, Centro. São Joaquim da Barra

(16) 3728-5482

(16) 9.9214-2288

 

Laís Exposto

FOCO, DETERMINAÇÃO, TRABALHO E SERIEDADE DEFINEM ESSA JOVEM FISIOTERAPEUTA DE 25 ANOS DE IDADE

IMG_5290

 

Graduada em Fisioterapia com especialização em Fisioterapia Dermato-Funcional, Laís Exposto, quando iniciou sua carreira profissional, não tinha pretensões de abrir um espaço só seu. Sua ideia era trabalhar em uma clínica da cidade ou continuar estudando para tentar passar em um concurso público. Mas houve uma oportunidade de alugar uma sala em uma clínica de fisioterapia e estética onde atuava juntamente com outro fisioterapeuta. Permaneceu ali por cerca de dois anos, porém, se viu diante de uma situação muito difícil em sua vida pessoal. “Com problemas de saúde em minha família, estava ficando difícil me manter nesta sala, pois minha renda era pequena e eu ainda tinha que gastar com combustível, aluguel, produtos, além de ser longe de casa, pois eu precisava ajudar minha mãe com a recuperação do meu pai”, lembra.

Foi aí que sua irmã Renata deu a ideia de transformar um ponto vazio que ficava em sua casa mesmo em uma clínica. “De início fiquei assustada, porque eu não tinha condições financeiras para isso. O local precisava de uma grande reforma, porém, a ajuda da minha irmã foi fundamental. Em um mês a clínica estava toda reformada, com tudo pronto. Hoje, olhando para trás, penso que fiz uma loucura, pois eu não tinha nada, somente a coragem e o incentivo da minha família, e ainda, sem recursos financeiros. Mas Deus proveu o trabalho. A cada dia foi chegando novos clientes. Umas indicavam para as outras porque viam o resultado da estética”.

Laís conta que após 3 a 4 meses recebeu uma proposta para comprar novos aparelhos e destaca que no mercado competitivo que nos encontramos atualmente, é essencial o investimento em novas tecnologias, principalmente na área da estética, pois a cada dia são lançados novos equipamentos que garantem maiores resultados. “Abri mão de muitas coisas que uma jovem na minha idade gostaria de ter para investir nesses equipamentos. Sobretudo, com esses novos aparelhos chegaram novos clientes e as que já eram ficaram ainda mais satisfeitas com os resultados”.

Na clínica, Laís oferece:

Massagens: Relaxante e com pedras quentes que ajudam no alívio da tensão muscular e a Modeladora, que além de modelar o corpo, ameniza celulite, ativa a circulação e acelera o metabolismo.

Drenagem linfática que estimula o sistema linfático e o pós-operatório para quem fez abdominoplastia, lipoaspiração e para quem colocou próteses de silicone.

Tratamentos: Com aparelho Heccus, para gordura localizada, flacidez e celulite, Carboxterapia (ARES), que ameniza estrias, olheiras e auxilia no rejuvenescimento facial e na perda de gordura localizada.

Limpeza de pele com retorno, Peeling facial, Mascara de Rejuvenescimento, Fisioterapia domiciliar e o carro-chefe da estética, a Criolipólise.

“O que faz a diferença em nossa vida é agarrarmos as oportunidades. Problemas, todo mundo tem. Mas existem duas coisas a fazer, uma é ficar lamentando e reclamando o porquê de tudo, a segunda é levantar a cabeça, seguir em frente e acreditar que é possível se trabalharmos com foco e seriedade”, finaliza.

Criolipólise

“É o queridinho das famosas”, diz Laís. A criolipólise alcançou o chamado padrão ouro, ou seja, é comprovadamente eficiente na eliminação de gordura localizada. “A gordura sofre cristalização, as células adiposas são destruídas e posteriormente eliminadas pelo sistema imunológico, via sistema linfático. É um procedimento não invasivo, sem cortes, sem uso de agulhas ou necessidade de anestesia”, esclarece a especialista.

Esse processo é intensificado através da drenagem linfática, massagem modeladora e com os aparelhos Heccus e Ares.

Contato: FisioCorp, Rua 9, 839, Centro, Orlândia

Tel.: (16) 3826-1096 | 9.9141-7334

 

MARIA LUÍSA RIBEIRO DA SILVA

O Pilates não é apenas um exercício, sobretudo, também serve como tratamento que beneficia desde dores na coluna até a postura corporal

IMG_5446

Maria Luísa Ribeiro da Silva, mesmo antes de se ingressar em um curso superior, sempre gostou da área da saúde. Graduada em Fisioterapia pela Universidade Paulista – UNIP, foi com o método Pilates que a profissional encontrou um caminho para ajudar as pessoas no tratamento de dores e a encontrarem um meio de ter mais saúde e bem-estar. “Quando conheci o Método Pilates me apaixonei por essa área, pois ele pode ser relacionado como tratamento de várias patologias. O Pilates não é apenas um exercício, ele também trata desde dores na coluna até a postura corporal”. Comenta a profissional.

Pilates não tem contra-indicação. Atletas, pessoas sedentárias e até crianças a partir dos 10 anos de idade podem praticar. Os exercícios de baixo impacto fortalecem os músculos, trabalham a flexibilidade e o equilíbrio, realinham a coluna, tratam a ansiedade, trabalham a respiração diafragmática, além de vários outros benefícios.

 “Minha maior satisfação é quando inicio um tratamento com uma pessoa que chegou toda DESALINHADA, e com o tempo, aplicando os treinos do Pilates, ver o resultado, a melhora física dessa pessoa… Ah! Isso não tem preço! O Pilates apresenta um resultado rápido. Com um mês de tratamento é possível notar a diferença”.

Para as crianças, os exercícios lúdicos com a bola, a possibilidade de virar de cabeça para baixo nos aparelhos, são tão atrativos e prazerosos que parecem brincadeiras infantis. Os idoso também podem ser estimulados com o Pilates, tratando a coordenação motora, equilíbrio, força e flexibilidade. Além de eles ficarem mais ativos e concentrados, o treino também combate a osteoporose, prevenindo fraturas, quedas e protegendo as articulações. “Me sinto bem em tratar quem está com dor. Me dá prazer em ver que a pessoa melhorou porque eu pude fazer algo por ela!” Diz.

Orgulhando-se do seu trabalho, Maria Luísa hoje, aos 26 anos, diz que suas expectativas foram superadas. “Quando terminei a faculdade várias questões me vieram à mente como – será que vai dá certo?, será que vou conseguir?, principalmente porque a área da saúde hoje é bastante concorrida e mal remunerada aqui no Brasil. Mas graças a Deus, quando tratamos bem um paciente, ele mesmo vai nos indicando, e foi assim, com o tempo as pessoas foram adquirindo confiança em meu trabalho, me indicando para outras e hoje a procura não para, a cada dia chegam novos pacientes e novos desafios”, destaca a fisioterapeuta.

Maria Luísa ainda atua na área de fisioterapia, treinamento funcional com exercícios de baixo impacto para aqueles que não podem fazer treinos de musculação e já tem planos para o ano 2017, com o projeto de implantar o RPG no estúdio.

Contato: Avenida 6, 222, esquina com a Rua 3, Centro. Orlândia. Telefone: (16) 9.9183-2408.

TALITA CODOGNI

DEDICADA, GUERREIRA, SONHADORA. NUTRICIONISTA É A SUA ÁREA. SEU ALVO É AJUDAR AS PESSOAS A CONQUISTAREM BEM-ESTAR, SAÚDE E O PESO IDEAL.

IMG_5245

Sentindo na pele as dificuldades de quem tem sobrepeso, Talita Codogni, na adolescência, conseguiu emagrecer dez quilos. A alimentação saudável passou a fazer parte da sua rotina e a nutrição tornou-se sua paixão e posteriormente sua área de atuação profissional. “Passei por todos os anseios e dificuldades para emagrecer. Acredito que vem daí minha facilidade em compreender meus pacientes e, especialmente, ajudá-los”. Comenta a nutricionista.

Todo início profissional é difícil. Com Talita não foi diferente, que teve jornada dupla até conseguir montar seu próprio consultório. Ela relata que chegou a pensar que nunca conseguiria viver só de nutrição. “Eu trabalhava em uma transportadora no horário comercial e atendia a domicílio depois do horário. Fiz isso por anos, mas graças a Deus, com o tempo, os pacientes foram chegando, muitos por indicação de pessoas que haviam gostado do meu trabalho. A demanda foi aumentando até que resolvi arriscar. Com o apoio da minha família e o incentivo do meu namorado Francis montei meu consultório e deixei o outro trabalho. Foi muito difícil, mas hoje vejo que valeu a pena”.

Ouvir o paciente. Talita acredita que isso é seu grande diferencial. Ela destaca que a alimentação está relacionada, sobretudo, ao psicológico da pessoa. “Quem tem compulsão alimentar, ou ao contrário, dificuldades para engordar, se tiver com problemas no casamento, no trabalho, ou em qualquer outra área, irá descontar na comida ou ficar sem comer. Então, ouvi-la faz bem, e ainda ouvir o que ela gosta ou não gosta, saber quais são suas dificuldades. Isso é fundamental ao tratamento”.

Talita também é especialista em Nutrição Esportiva, indicado para quem pratica esportes, frequenta academia e participa de competições, atuando na melhora do rendimento de treinamento, na prevenção de lesões e doenças cardiorrespiratórias e ainda na manutenção e controle do peso, ganho de volume muscular, adequando o plano alimentar com a suplementação.

Outro diferencial é a pesagem na balança de Bioimpedância, capaz de mostrar números mais aprofundados, tais como: índice de gordura corporal, massa muscular, peso dos ossos, índice de água, índice de massa corporal (IMC), etc. “Quando subimos numa balança comum para verificar o peso vemos no visor um indicativo de peso que é o resultado da soma de vários fatores como, por exemplo, a sua pele, músculos, gordura, ossos, órgãos, líquidos e massa corporal. Sendo assim, verificando apenas peso total é difícil ter a noção exata de quanto será necessário reduzir de gordura ou líquido. Com a pesagem de com Bioimpedância, é possível diagnosticar quanto de peso do corpo é água, gordura e músculo. A partir do momento que se tem essas informações bem detalhadas é possível começar uma dieta realmente eficaz, pois conseguimos determinar exatamente sobre qual fator é importante ter mais cuidado”, explica a nutricionista.

Talita ainda acumula em seu currículo a especialidade em acupuntura na nutrição. “A acupuntura ajuda no controle da ansiedade. Esse foi o primordial por eu procurar me especializar também nesta área. O profissional de nutrição não pode receitar ansiolíticos, como a maior parte das pessoas que me procuram tem um grau de ansiedade, com a acupuntura conseguimos mais êxitos no tratamento, juntamente com um plano alimentar e atividade física, além de tratar enxaqueca, distúrbio emocional e vários outros pontos relacionados ao emagrecimento”. Diz.

Aos 26 anos de idade, Talita conquistou sua independência trabalhando com profissionalismo e amor. “Minha maior realização é ver na balança o resultado do meu trabalho e o sorriso de satisfação no rosto do meu paciente que está vencendo sua batalha contra o peso. Sinto-me vitoriosa junto com ele”. Finaliza.

Contato: Rua 16, 3, Jardim Prado, Orlândia.

Tel.: (16) 9.9134-3425 – Convênio com a Morlan

Leia Mais