close

Cultura

CulturaRecentes

Orlândia recebe “Madame Buttlerfly” no fim de julho

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo dá continuidade à temporada 2016 de seu Programa de Circulação de Óperas, promovido pelo Governo do Estado de São Paulo, com espetáculo “Madame Butterfly – a ópera contada e cantada”, da Companhia de Ópera Curta. A apresentação será no dia 31 de Julho, com sessão gratuita, às 20h, no Teatro Municipal “Professora Maria José Beltrami Bordin”. A classificação é acima de 10 anos. Outras informações pelo telefone: 3820-8153.

O objetivo é apresentar espetáculos na linguagem da ópera para pessoas que têm pouco ou nenhum acesso ao gênero. A interiorização do projeto permite o fomento, a formação e a difusão da cultura, ampliando o acesso a atividades artísticas de excelência.

A ópera “Madame Butterfly- a ópera contada e cantada” é baseada na ópera homônima – Madama Butterfly – de Giacomo Puccini (1858 – 1924). Na versão original, Cio-Cio San (Madama Butterfly) matou-se segundos antes de Pinkerton, em desespero alucinado, gritar seu nome ao chegar à sua casa em Nagasaki, para onde fora determinado a acolher seu filho e da jovem japonesa, levando-o para os Estados Unidos.

Nesta montagem, a Companhia de Ópera Curta apresenta os principais trechos musicais da ópera, ligados por um texto de teatro. A concepção do espetáculo é assinada por Cleber Papa e Rosana Caramaschi. O responsável pela direção musical, assim como pela adaptação das partituras originais é  do maestro Luís Gustavo Petri.

 

Sinopse

Em 1903, Pinkerton retorna a Nagasaki e leva seu filho Jonathan para os Estados Unidos onde mora com sua esposa Kate. Desde que retornou do Japão com o filho, o oficial da Marinha passou a beber de forma incontrolável, sem qualquer sucesso nos tratamentos que fez para se curar deste vício. Por esta razão, foi afastado do serviço ativo na Marinha.

Em 1909, Pinkerton viaja com Kate para a Flórida, onde deveriam participar de uma comemoração na base militar. Dirigindo embriagado, seu estado natural nos últimos anos, provoca um acidente em que seu carro capota. O casal morre.

Sharpless, a estas alturas cônsul na Itália, porém mantendo laços afetivos com a família e, principalmente com a trajetória do garoto, não vê alternativa que não tornar-se seu tutor e dar a ele uma base familiar na Europa.

Em 1928, Sharpless e Jonathan retornam à Florida. O espetáculo Madame Butterfly começa aqui. Na capela em que foram velados Benjamim e Kate Pinkerton, Jonathan e Sharpless conversam. O cônsul foi promovido a embaixador e sua próxima base será no Japão, o país onde nasce o sol.

Com entusiasmo, Jonathan, agora com 27 anos, vê nesta nova etapa de sua vida a oportunidade para conhecer Nagasaki e a história de sua mãe. Quando chegam à casa onde nasceu, encontram Suzuki e sua filha Mussumê. Filha dela e de Goro, o casamenteiro, com quem Suzuki acabou se casando. Com Goro também falecido, a Jonathan cabe conhecer a versão da história de sua mãe através dos três personagens que, à sua maneira, viveram partes desta narrativa. Ele próprio obrigado a ver dimensões que jamais imaginou serem possíveis.

Leia Mais
CulturaRecentes

Cinema drive-in volta em Orlândia

Atenção Orlândia! No próximo final de semana, nossa cidade terá um evento especial. Trata-se de um cinema drive-in, projeto de cinema itinerante com exibições de filmes ao ar livre para serem assistidos de dentro dos próprios automóveis. O evento acontece no dia 23 e 24 de julho, a partir das 19h30, no Parque Municipal “Cyro Armando Catta Preta”. Serão exibidos dois filmes: “Trinta” e Serra Pelada”. Inscrições e informações: www.cineautorama.com.br

 

CINEMA DRIVE-IN

Muito popular no Brasil durante os anos 60 e 70, o cinema drive-in levava dezenas de pessoas a se reunirem em frente uma gigante tela para curtirem produções cinematográficas do conforto de seus automóveis. Com o passar dos anos, a maioria dos cinemas drive-in foi fechando e deixou apenas a lembrança saudosa.

A distribuição do áudio dos filmes é feita via FM e disponibilizado através do rádio dos automóveis. Os espectadores que chegarem antes do horário das sessões, poderão curtir, também de dentro do carro, a Rádio Autorama com uma seleção de músicas que farão o público entrar no clima dos drive-ins.

Realizado pela Brazucah Produções e viabilizado pelo patrocínio da CPFL Energia, o cinema será montado no Campo Juventus com entrada gratuita. Para garantir o lugar, basta fazer a inscrição no site do projeto www.cineautorama.com.br. Quem não conseguir reservar seu ingresso, ainda poderá tentar comparecer no dia do evento. Sempre é aberta uma lista de espera para preencher vagas remanescentes.

 

Sobre o Cine Autorama

O projeto, que tem patrocínio da CPFL Energia e faz parte do Circuito CPFL de Arte e Cultura, com apoio do Instituto CPFL, percorrerá 20 cidades do interior de São Paulo entre os meses de maio e setembro. Cada cidade terá dois dias seguidos de programação, com dois filmes diferentes. O projeto Cine Autorama é realizado através do PROAC, com patrocínio da CPFL Energia, apoio Instituto CPFL, Sices Brasil, Associação Cultural Simbora, Curta Brasília e com a realização da Brazucah Produções, Governo do Estado de São Paulo e Secretaria de Cultura do Estado.

Leia Mais
CulturaRecentes

Cris Poli, a Super Nanny, esteve em Orlândia no último sábado

A empresa Delf Produções e Eventos trouxe no último sábado, dia 25, na Associação Atlética de Orlândia, Cris Poli, educadora e apresentadora do programa Super Nanny exibido no SBT, que ministrou uma palestra sob o tema LIMITES NA FAMÍLIA E NA ESCOLA.

Cris Poli é Argentina radicada no Brasil, tem 66 anos e dedicou 40 deles à educação infantil.

Atuou como professora de algumas das mais respeitadas escolas de Buenos Aires até se mudar para São Paulo e aplicar seus conhecimentos em colégios da capital paulista. Formou-se em Educação pelo Instituto Nacional Superior del Profesorado en Lenguas Vivas Juan Ramón Fernandez, de Buenos Aires, na Argentina.

Mais de 400 pessoas participaram do evento e puderam aprender as 10 regras essenciais para educar as crianças. Entre os presentes, estavam várias autoridades da cidade, bem como pais, mães e educadores.

 

Leia Mais
CulturaRecentes

Orlândia recebe “Simba – O Rei Leão

O Teatro Municipal de Orlândia irá receber no próximo dia 18 de junho o espetáculo “Simba – O Rei Leão. O teatro acontece a partir das 16h e os ingressos são adquiridos pela internet, no site: https://www.sympla.com.br/simba—o-rei-leao-em-orlandia__68037

Essa montagem da “Cia. de Teatro Mas Por Quê?” é certamente um dos espetáculos mais encantadores que você já viu e esteve em diversos palcos da capital e interior de São Paulo, sendo aplaudido por mais de 18 mil pessoas na cidade de São Paulo. Não perca essa chance de se emocionar com toda a magia deste maravilhoso espetáculo!

Para vendas pela internet é necessária a comprovação do direito ao benefício da meia-entrada no acesso ao espetáculo. Para vendas nas bilheterias é necessária a comprovação do direito ao benefício da meia-entrada no ato da compra e também no acesso ao espetáculo. Vale ressaltar que crianças até 2 anos de colo não pagam, crianças até 12 anos pagam meia-entrada. A classificação é livre.·.

Sinopse:
Simba, um pequeno leãozinho é filho de Mufasa e da rainha Sarabi. Simba recebe a bênção do sábio Rafiki, mas ao crescer é envolvido nas artimanhas de seu tio, o invejoso e maldoso irmão de Mufasa, que tem como objetivo maior assumir o trono do seu irmão.

Leia Mais
CulturaRecentes

Usina da Dança é uma das 13 companhias do Estado selecionadas para o Mapa Cultural Paulista 2016

A Usina da Dança, projeto sociocultural e educativo desenvolvido pelo Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça há 15 anos, destaca-se como uma das 13 companhias de dança do Estado, selecionadas pelo Mapa Cultural  Paulista 2016. Trata-se do único grupo que integra um projeto de cunho social, todos os outros dedicam-se exclusivamente às atividades artísticas. “Isso demonstra que, além de efetivo para promover a transformação social, enquanto projeto social, a Usina da Dança tem valor artístico reconhecido”, comemora a presidente do IORM, Josimara Ribeiro de Mendonça.

No sábado, dia 28 de maio, bailarinos da Usina da Dança pisaram o palco do Teatro Sergio Cardoso, templo da cultura paulistana, para a apresentação da fase estadual de Dança do Mapa Cultural.

A apresentação contou muito sobre a história da região, e é universal e valorizada também por isso. O grupo, representado por seis bailarinos, mostrou a sua apresentação das danças contemporâneas Corpo Cidade e Mova-me. “O Corpo Cidade é um fragmento de Querença. Conta o passado afetivo, homenageia a memória de Orlândia. Fala do Castelinho e de sua importância para a cidade. É uma criação mediada pela coreógrafa Vivian Vinhas. Fala  da memória do nosso corpo. Este trabalho de dança contemporânea se expressa acerca das questões corporais, ligadas às vivências de cada bailarino em relação a um espaço físico da cidade de Orlândia, a construção histórica chamada Castelinho,  transbordando ideias, sentimentos, dinâmicas, ações e movimentos”, define a coordenadora artística da Usina da Dança, Valeria Pazeto.

O outro número apresentado foi também de dança contemporânea: a coreografia Mova-me, que a Usina da Dança levou para o Festival TuDanzas, de Barcelona, em 2014, e foi acolhido pelo público e crítica.

Os bailarinos intérpretes que participaram da apresentação da Usina da Dança foram: Caio César Sousa, Marina Andrade, Isabela Cristina Mastroscosso de Oliveira, Manuela Zuchi Silva, Júlio César Soares e Larissa Manso Corrêa.  Márcia Pereira de Jesus, profissional do Projeto, atuou como técnica de som.

A prefeita Flávia Mendes Gomes, que esteve presente na apresentação no último dia 28, se emocionou muito durante o espetáculo e também durante a premiação do grupo e desejou boa sorte ao grupo: “É uma alegria imensa estar presente e ver o talento desses jovens ser reconhecido, agora de maneira estadual. Parabéns a todos os envolvidos!”, destacou.

Foto: Divulgação

Leia Mais